• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

14º CECUT vai eleger nova direção da CUT/SE e estratégia de luta sindical

‘SINDICATOS FORTES, DIREITOS, SOBERANIA E DEMOCRACIA’ é tema do Congresso Estadual da CUT/SE que reunirá mais de 200 sindicalistas para discutir realidade política e definir Plano de Lutas

Publicado: 13 Novembro, 2019 - 17h29 | Última modificação: 13 Novembro, 2019 - 17h34

Escrito por: Iracema Corso

notice

Nos dias 29, 30 de novembro e 1º de dezembro acontecerá no bairro Siqueira Campos, em Aracaju, no Auditório do SINDIPEMA, o 14º CECUT (Congresso Estadual da Central Única dos Trabalhadores) que traz como tema ‘SINDICATOS FORTES, DIREITOS, SOBERANIA E DEMOCRACIA’.

Segundo o presidente da CUT/SE Rubens Marques, o professor Dudu, nos 35 anos de história da CUT, este será um dos mais importantes congressos diante do momento político vivido na América Latina e no Brasil.

Diante dos ataques para destruir todas as conquistas dos direitos dos trabalhadores e direitos da sociedade brasileira, ataques contra a democracia, contra a soberania nacional e ações políticas para fragilizar o movimento sindical, o 14º CECUT tem entre seus objetivos atualizar o projeto político-organizativo da CUT à luz das transformações em curso no mundo do trabalho. Os sindicatos filiados à CUT em Sergipe vão se reunir durante três dias para fortalecer a luta em defesa dos direitos, soberania e democracia; assim como elaborar a estratégia e o plano de lutas para o próximo período.

Serão mais de 200 sindicalistas entre delegados, observadores e convidados que estão inscritos no 14º CECUT representando as mais de 80 entidades sindicais filiadas à CUT/SE. Todas as deliberações discutidas e aprovadas no mês de outubro durante o Congresso Nacional da CUT (13º CONCUT) serão apresentadas no processo de elaboração do Plano de Lutas.

Pela Petrobrás no Nordeste

‘A atual política de desinvestimento da Petrobras e as consequências para a economia dos Estados do Nordeste’ é o tema da palestra de abertura do 14º CECUT que será proferida pelo economista e ex-presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, a partir das 19h, no dia 29 de novembro (sexta-feira).

O petroleiro Ivan Calazans foi um dos delegados da CUT/SE que participou do Congresso Nacional da CUT e propôs inserir no plano de luta nacional a mobilização sindical contra a saída da Petrobrás do Nordeste através do diálogo com parlamentares e senadores da região. “O movimento sindical foi pego de surpresa com o anúncio de que a empresa vai fechar a sua sede administrativa em Aracaju no início de 2020. Isso vai gerar a transferência de 350 empregados da Petrobrás prejudicando famílias e a economia local. Vamos organizar protestos, o movimento sindical não vai aceitar passivamente o fechamento da Petrobras em Aracaju”, alertou.

Norte de luta sindical
Diretor de Formação da CUT/SE, Roberto Silva avaliou que a discussão sobre o rumo político sindical é urgente. “É assustadora a conjuntura de retirada de direitos. Esta Medida Provisória para instituir a carteira verde-amarela é uma nova Reforma Trabalhista e Previdenciária. Precisamos nos unir neste momento para discutir uma estratégia eficaz para barrar esta ofensiva neoliberal e fascista que estamos enfrentando no Brasil”, destacou.

Instância máxima de deliberação da CUT, o Congresso Estadual é realizado a cada quatro anos e é a ocasião em que são construídos coletivamente o balanço político e organizativo da CUT; a estratégia política do plano de ação da CUT; o Plano de Lutas, Moções e a Eleição da Direção Executiva e da Direção Ampliada da CUT/SE.