• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

“Deputados aprovaram destruição da Previdência Pública”, Dudu (CUT/SE)

Juntos, Gustinho Ribeiro (Solidariedade), Fábio Reis (MDB), Mitidieri (PSD), Laércio (PP) e Bosco Costa (PR) votam na Reforma de Bolsonaro que vai piorar a vida do povo brasileiro

Publicado: 11 Julho, 2019 - 13h19 | Última modificação: 11 Julho, 2019 - 13h28

Escrito por: Iracema Corso

notice

Quarenta e quatro milhões de pessoas que trabalham todos os dias e contribuem com a Previdência Social do Brasil mais os 23 milhões de aposentados e também as gerações futuras, a população brasileira foi traída por 379 deputados federais que votaram na última quarta-feira, dia 10/7, para que os brasileiros trabalhem mais, contribuam mais com a Previdência para se aposentarem mais idosos e receberem uma aposentadoria menor.

Os deputados federais de Sergipe João Daniel (PT), Fábio Henrique (PDT) e Valdevan 90 (PSC) foram os únicos parlamentares que votaram a favor da aposentadoria para o povo brasileiro que trabalha e contribui com a Previdência Pública.

Eleitos recentemente em 2018 com base em promessas de que iriam melhorar a vida da população de Sergipe, os deputados federais Fábio Mitidieri (PSD), Laércio Oliveira (PP), Bosco Costa (PR), Gustinho Ribeiro (Solidariedade) e Fábio Reis (MDB) mataram as esperanças do povo sergipano de se aposentar. O texto base da Reforma da Previdência aprovado ontem vai à votação em segundo turno e depois segue para o Senado.

O presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT/SE), Rubens Marques, reforçou o convite para que toda a população indignada participe do protesto no Calçadão da João Pessoa nesta sexta-feira, dia 12/7, às 14h. “Estão destruindo a previdência pública, obviamente, para favorecer a previdência privada e os bancos que tem muito a ganhar. O povo brasileiro vai sentir na pele o resultado desta traição. Espero que o povo sergipano dê o troco nas urnas. O que Bolsonaro está fazendo não é reforma e sim a destruição da Previdência Pública solidária”, afirmou.

Secretário de Formação da CUT/SE e vice-presidente do SINTESE, Roberto Silva declarou que a votação é motivo de vergonha e demonstra a fragilidade da democracia brasileira que ainda não é capaz de eleger representantes para legislar em favor da maioria.

“Estes deputados votaram a favor da Reforma da Previdência de Bolsonaro e contra a população de Sergipe, de todo o Brasil, que terá que trabalhar mais para receber uma aposentadoria bem menor. De várias formas, a Reforma da Previdência dificulta o acesso à aposentadoria para os trabalhadores do campo e da cidade. Com todas as dificuldades criadas para o acesso à aposentadoria, a maioria dos homens se aposentará com 77 anos e maioria das mulheres vai se aposentar com 74 anos. Este é um dia histórico que marca a vergonha de um sistema político que não serve à população. Nós iremos resistir e denunciar esses deputados traidores”, afirmou o secretário de Formação da CUT/SE, o professor Roberto Silva.

 

PT e Psol denunciam Compra de Voto

O PT e o Psol vão ao Supremo Tribunal Federal (STF) contra a liberação de R$ 1 bilhão em emendas aos parlamentares. “(Estão) Usando emendas parlamentares do orçamento público, ou seja, o seu dinheiro (do povo), para tirar de 23 milhões de brasileiros o direito de se aposentar”, escreveu o líder do PT na Câmara, Paulo Pimenta (RS), nas redes sociais.

O deputado Ivan Valente (PSOL-SP), que entrou com a ação do Psol no STF para tentar impedir a votação e a execução das emendas parlamentares “sem base legal”, observou no Twitter que o “convencimento” envolve de “30 a 40 cargos para apadrinhados do Centrão nos últimos dias”. O parlamentar acrescenta que emendas parlamentares, isenção a ruralistas e redução fiscais para igrejas “compõem a vergonhosa compra de votos para a reforma”.

(Com informações da CUT Nacional)