• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Sindicalistas de Sergipe compõem nova Direção Nacional da CUT

Conquistas, aprendizado e muito debate marcaram o 13º CONCUT, de 7 a 10 de outubro, em Praia Grande/São Paulo

Publicado: 11 Outubro, 2019 - 17h52 | Última modificação: 15 Outubro, 2019 - 13h30

Escrito por: Iracema Corso

notice

Com o tema “Lula Livre” – Sindicatos Fortes, Direitos, Soberania e Democracia, o 13º CONCUT (Congresso Nacional da Central Única dos Trabalhadores) se encerrou na quinta-feira (10/10) após quatro dias de intensos debates realizados em Praia Grande/SP, no mesmo lugar em que a CUT foi criada em 1983.

Para o diretor de Formação da CUT/SE, Roberto Silva, um dos 28 dirigentes sindicais que representaram os trabalhadores de Sergipe no CONCUT, o resgate da história da CUT neste cenário de crescimento da direita e da ameaça ao conjunto da classe trabalhadora, gerou uma forte reflexão. “A CUT volta às suas raízes, este é um Congresso que tem objetivo de refundação. É preciso ir além do empregado formal e representar ambulantes, terceirizados, feirantes, uberizados... São muitos os trabalhadores em condições precárias de trabalho, é preciso encontrar alternativas e formas de defender seus direitos. Além disso, o Congresso discutiu uma frente de negociação internacional com as multinacionais para firmar acordos coletivos de trabalho tendo como referência a política de bem estar social”.

 

Sergipe na Direção Nacional da CUT

Duas lideranças sindicais de Sergipe passam a compor a nova Diretoria Nacional da CUT: Ivonete Alves e Ângela Maria de Melo. Por unanimidade, o metalúrgico do ABC paulista Sérgio Nobre foi eleito presidente nacional da CUT (Leia Mais: Sérgio Nobre é eleito presidente da CUT por unanimidade).

A professora Ivonete Alves fez um balanço desde o golpe de 2016 à democracia brasileira. “Sentimos um avanço muito feroz nos direitos da classe trabalhadora. A gente vive o desmonte do estado brasileiro. A gente vive um processo de avanço da ultradireita reacionária para destruir tudo que foi conquistado e construído com muita luta e resistência. Precisamos de táctica e estratégia para enfrentar esse processo que está posto no Brasil. Nós não podemos, num processo de desmonte e reformas, acreditar que qualquer tipo de acordo ou conciliação vão destruir o golpe. Quem construiu o golpe tem posição. Esse desmonte é para massacrar a classe trabalhadora e esta central tem que construir a resistência pelas ruas, com greve geral. As ruas precisam ser ocupadas para defendermos Lula livre pela soberania, pelo povo brasileiro e pela classe trabalhadora”, discursou a dirigente sindical de Sergipe debatendo Plano de Luta da CUT.

 

 

Conquistas e Aprendizado

O Sindijus/SE também participou do 13º CONCUT e impulsionou um passo adiante na luta pela democratização do Judiciário. No bloco de emendas de consenso ao Plano de Lutas da CUT, foi aprovada a emenda de incluir a luta pela Democratização do Judiciário, proposta pelo Sindijus/SE. No congresso passado, o sindicato já tinha conseguido pautar o sistema judiciário na estratégia da CUT Nacional.

Dirigente do Sindimina/SE, Admilson Lima voltou empolgado por participar pela primeira vez do Congresso Nacional da CUT. “Foi muito aprendizado, exemplos de conquistas e lutas da CUT junto aos sindicatos e movimentos sociais. Vamos levar este conhecimento para a base. A classe trabalhadora não está morta, está ativa e precisa, junto aos demais trabalhadores e categorias, acreditar que apesar deste momento difícil que os sindicatos estão passando, nós podemos sim conquistar avanços na luta. Sabemos que para realizar o 13º CONCUT não foi fácil, os sindicatos estão enfrentando muitos problemas financeiros com as desfiliações, o desemprego, e nossa luta não pode parar. Este é o momento dos sindicatos se ajudarem, mesmo quando houver oposição entre as tendências políticas que compõem o movimento. É momento de unificarmos para fortalecer a luta”.

Admilson Lima destacou que o momento exige extrema responsabilidade na atuação sindical. “Nem sempre é fácil participar dos atos, mas precisamos impulsionar esta luta e mostrar a força da nossa união. No dia 30 de outubro, haverá uma caravana que vai pra Brasília para pressionar contra a reforma da previdência e na luta por Lula Livre! O Brasil precisa retomar o caminho certo, do desenvolvimento com democracia, soberania e direitos”.

 

Conheça a nova Direção Nacional da CUT (2019-2023)

Presidente

Sergio Nobre

Vice-Presidente

Vagner Freitas

Secretária-Geral

Carmen Helena Ferreira Foro

Secretário-Geral Adjunto

Aparecido Donizeti da Silva

Secretário de Administração e Finanças

Ariovaldo de Camargo

Secretária-Adjunto de Administração e Finanças

Maria Aparecida Faria

Secretário de Relações Internacionais

Antonio de Lisboa Amâncio Vale

Secretário-Adjunto de Relações Internacionais

Quintino Marques Severo

Secretário de Assuntos Jurídicos

Valeir Ertle

Secretário de Comunicação

Roni Anderson Barbosa

Secretário-Adjunto de Comunicação

Admirson Medeiros Ferro Junior (Greg)

Secretário de Cultura

José Celestino (Tino)

Secretária de Formação

Rosane Bertotti

Secretária-Adjunta de Formação

Sueli Veiga de Melo

Secretária de Juventude

Cristiana Paiva Gomes

Secretário de Relações de Trabalho

Ari Aloraldodo Nascimento

Secretária-Adjunta de Relações de Trabalho

Amanda Gomes Corsino

Secretária da Mulher Trabalhadora

Junéia Batista

Secretária de Saúde do Trabalhador

Madalena Margarida da Silva Teixeira

Secretária-Adjunta de Saúde do Trabalhador

Maria de Fátima Veloso Cunha

Secretária de Meio Ambiente

Daniel Gaio

Secretária de Mobilização e Movimentos Sociais

Janeslei Albuquerque

Secretária de Políticas Sociais e Direitos Humanos

Jandyra Uehara

Secretário-Adjunto de Políticas Sociais e Direitos Humanos

Ismael Cesar José

Secretária de Combate Ao Racismo

Anatalina Lourenço

Secretária-Adjunta de Combate Ao Racismo

Rosana Sousa Fernandes

Secretária de Organização e Política Sindical

Maria das Graças Costa

Secretária-Adjunta de Organização e Política Sindical

Jorge Farias

 

Diretores executivos

Aline Marques

Ângela Maria de Melo

Claudio Augustin

Cláudio da Silva Gomes

Eduardo Guterra

Francisca Trajano dos Santos

Ivonete Alves

João Batista (Joãozinho)

José de Ribamar Barroso

Juvândia Moreira Leite

Marcelo Fiorio

Marcelo Rodrigues

Mara Feltes

Maria Josana de Lima

Maria Julia Nogueira

Marize Souza Carvalho

Milton dos Santos Rezende (Miltinho)

Pedro Armengol

Rogério Pantoja

Sandra Regina Santos Bitencourt

Virginia Berriel

Vitor Carvalho