• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Sindicatos conquistam apoio de vereadores na luta por reposição salarial 2020 e 2021

Publicado: 10 Setembro, 2021 - 11h25 | Última modificação: 10 Setembro, 2021 - 13h26

Escrito por: Iracema Corso

notice

Manifestação na porta da Câmara Municipal de Nossa Senhora do Socorro, na quinta-feira 9 de setembro, conquistou mais força e apoio na luta dos servidores públicos pelo direito à revisão salarial referente aos anos de 2020 e 2021.

A presidenta do Sindsocorro Edjane Pequeno alertou que desde o mês de julho a categoria espera pelo apoio da Câmara de Vereadores para intermediar o diálogo com o prefeito de Nossa Senhora do Socorro.

“Conversamos com 14 vereadores. Eles nos disseram que estavam ali como parlamentares, eleitos pelo povo e pelos servidores. E que não vão se opor aos servidores. Foi um avanço importante. Os vereadores estavam com um entendimento errado sobre nosso pleito. Eles pensavam que estávamos pedindo aumento salarial e não uma reposição inflacionária. Este foi o nosso segundo ato de paralisação e caso a conquista não avance, a luta vai continuar”, afirmou Edjane Pequeno.

O protesto foi construído pelo Sindsocorro (Servidores de Socorro), Sintrafa (Farmacêuticos), Sinodonto (Odontólogos), Seese (Enfermeiros), Sacems (Agentes de Saúde), com apoio da Central Única dos Trabalhadores (CUT Sergipe), do Sindicato dos Agentes Comunitários de Saúde de Endemias de Itabaiana e da Federação dos Servidores Públicos Municipais do Estado de Sergipe (Fetam).

Vice-presidenta da CUT Sergipe, Ivônia Ferreira participou do protesto em apoio aos servidores prestando apoio da central nesta luta.

“A audiência com os vereadores foi a maior conquista do ato. Ficou deliberado que os vereadores vão enviar um ofício ao prefeito Inaldo pedindo que ele receba uma comissão dos servidores junto com os dois grupos de vereadores. Caso o prefeito não atenda ao ofício, os vereadores se comprometeram em fazer um requerimento para pedir a presença do prefeito na Câmara de Vereadores junto ao representante da Secretaria Municipal da Fazenda. A CUT avalia que os sindicatos estão no caminho certo e que não podem abrir mão do direito à reposição salarial. Esta luta também é nossa”, afirmou a vice-presidenta da CUT Sergipe.

Segundo Itanamara Guedes, presidenta da Fetam, a luta dos servidores é justa e está amparada pela Constituição Federal que assegura que a revisão geral deve ocorrer anualmente.

“É inadmissível que a Prefeitura continue negando a revisão salarial (2020 e 2021), alegando a Lei 173/2020, debate já superado em Sergipe devido à posição do TCE e TJSE que reconheceram que a revisão salarial é um direto constitucional e que os gestores tem a obrigatoriedade de pagar”, afirmou.

De acordo com Itanamara, a FETAM Sergipe está desde maio, quando a Lei 173/2020 foi sancionada, travando esse debate com os gestores e informando que a Lei não proíbe a revisão salarial. “A federação orienta juridicamente e politicamente os sindicatos municipais, coordena de forma unificada essa luta dos servidores municipais pela revisão salarial e já conseguimos avançar conquistando a revisão salarial em diversos municípios”, acrescentou Itanamara.

Até o presente momento, está mantido o protesto e paralisação para o próximo dia 14 de setembro. Depois desta data, caso não haja avanço concreto na luta por reposição salarial, o movimento sindical avalia a possibilidade de decretar greve no município de Socorro.