• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Sindiserve Cristinápolis denuncia perseguição política de servidores públicos

Publicado: 19 Janeiro, 2021 - 16h38 | Última modificação: 19 Janeiro, 2021 - 17h23

Escrito por: Iracema Corso

notice

Três motoristas de ambulância, servidores públicos concursados do município de Cristinápolis, procuraram o Sindiserve Cristinápolis (Sindicato dos Servidores Públicos de Cristinápolis) para denunciar perseguição política na administração pública.

Segundo Francisco de Assis (tesoureiro do Sindiserve Cristinápolis), nos primeiros dias de janeiro, os três foram transferidos pelo novo prefeito Sandro de Jesus, sem nenhum motivo, para outra secretaria municipal onde receberão uma remuneração inferior.

Assim que recebeu a denúncia, o dirigente sindical Francisco de Assis se reuniu com a presidenta do sindicato, a senhora Josefa Conceição, e ambos procuraram conversar com o prefeito sobre o assunto. “Há mais de 23 anos os três trabalham nesta função, são servidores públicos, nunca bateram um carro, desempenham bem o seu trabalho. Eles não podem ser punidos porque não votaram no prefeito. Por isso tentamos conversar com o senhor Sandro para reverter a situação, mas ele está decidido e não quis ouvir o sindicato”, explicou o dirigente.

De acordo com Francisco de Assis, as nove vagas de motoristas de ambulância devem ser preenchidas por servidores públicos concursados, conforme estabelece o Estatuto do Servidor. “O prefeito chamou seis concursados e contratou mais três motoristas sem concurso, através de contrato temporário. O sindicato tentou conversar, mas a conversa não adiantou, então vamos cobrar judicialmente que o prefeito cumpra o Estatuto dos Servidores”, afirmou.

Francisco de Assis acrescentou que os servidores só podem ser remanejados para a mesma secretaria em que estão lotados, conforme o Estatuto dos Servidores. “Não podemos aceitar este retrocesso. O servidor público tem independência para votar em quem ele quiser. Ele não pode ser retaliado pelo prefeito que venceu as eleições”, criticou.

Presidente da CUT Sergipe, Roberto Silva enfatizou que os servidores públicos de Cristinápolis têm todo o apoio da central. “A CUT combate práticas de perseguição aos servidores públicos e luta para que todo trabalhador possa votar em quem quiser. As diferenças ideológicas e políticas não justificam nenhum tipo de assédio moral em ambiente de trabalho nem qualquer tipo de punição contra o trabalhador”, acrescentou.

O Sindicato dos Servidores Públicos de Cristinápolis (Sindiserve Cristinápolis) é filiado à Central Única dos Trabalhadores (CUT Sergipe) e à Fetam (Federação dos Trabalhadores do Serviço Público Municipal de Sergipe).