• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Vigília na ALESE: só sairemos daqui quando o governo retirar os projetos da ALESE

Publicado: 27 Novembro, 2019 - 18h35 | Última modificação: 27 Novembro, 2019 - 18h40

Escrito por: Sintese

notice

No primeiro dia da greve do magistério das escolas estaduais, os professores e professoras decidiram permanecer em vigília na Assembleia Legislativa até que o governo do Estado retire os projetos.

"Só sairemos daqui quando o governo Belivaldo Chagas retirar os projetos da pauta e abrir o debate com a categoria" afirma a presidenta do Sintese, professora Ivonete Cruz.


Diálogo com o legislativo

Logo início da sessão desta terça, 26, a direção executiva do SINTESE entregou ofício aos deputados e deputadas explicando os motivos pelos quais os projetos enviados pelo governo são extremamente prejudiciais ao magistério das escolas estaduais.

"Viemos dialogar com os deputados e deputadas que atuem junto ao governo Belivaldo para que estes projetos sejam retirados de pauta", explica o vice-presidente, professor Roberto Silva dos Santos.

 

Greve continua
Os professores e professoras da rede estadual continuam em greve e na vigília na Assembleia Legislativa.

"A nossa reivindicação é uma só. Que o governo retire os projetos da Assembleia Legislativa", finaliza a presidenta.

Pacote de maldades: governo manda projeto para parcelar 13° em oito vezes

No primeiro dia greve da rede estadual e durante a vigília na Assembleia Legislativa, os professores e professores tomaram conhecimento de mais uma maldade do governo Belivaldo Chagas.

Já está na casa legislativa, projeto de lei que parcela o 13° em oito vezes.

"Depois de destruir a carreira e não reajustar o piso de acordo com a lei, de enviar projetos que acabam triênio, com a redução de jornada e criar entraves com gratificações para aposentadorias, o governo Belivaldo traz mais essa maldade não só para os professores, mas para todos os servidores públicos estaduais".