• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

14° CECUT elege nova diretoria da Central Única dos Trabalhadores em Sergipe

Em Aracaju, na sede do Sindipema, o 14º CECUT reuniu 200 lideranças sindicais na sexta e sábado

Publicado: 02 Dezembro, 2019 - 16h38 | Última modificação: 03 Dezembro, 2019 - 12h11

Escrito por: Iracema Corso

notice

Foi num contexto de muita luta em Sergipe – marcado desde terça (26/11) pela ocupação da Assembleia Legislativa por professoras e professores em greve –, que se concretizou nos dias 29 e 30 de novembro (sexta e sábado) o 14º CECUT (Congresso Estadual da Central Única dos Trabalhadores), na sede do Sindipema, em Aracaju.

Instância máxima de deliberação da Central, o 14º Congresso Estadual elegeu por unanimidade a nova diretoria da Central Única dos Trabalhadores (CUT/SE) para os próximos 4 anos.

A CUT será presidida por Roberto Silva e terá Ivônia Aparecida como vice-presidenta. “Assumo a presidência da CUT Sergipe junto à companheira Ivônia como vice para enfrentarmos desafios, ou seja, darmos continuidade às lutas da CUT que o companheiro Dudu vinha implementando à frente da central como presidente e dar continuidade à política de organização dos trabalhadores dentro da Central. Não tenho dúvida de que o companheiro Dudu será fundamental nessa próxima gestão à frente da Secretaria de Formação da CUT e com sua experiência teremos o fortalecimento da formação da CUT. Assim como também não tenho dúvida de que contaremos com apoio dessa nova direção da CUT eleita em nosso congresso, apoio de todas e todos os cutistas fortalecendo a luta da classe trabalhadora em nosso Estado”. 

O ex-presidente da CUT/SE nos três últimos mandatos, Rubens Marques, o professor Dudu, continua na nova diretoria na Secretaria de Formação Sindical. Confira a Entrevista com o professor Rubens Marques no link . Artigo de Avaliação do mandato do professor Dudu no link. "Ivônia tem experiência, disposição e uma capacidade invejável pra aglutinar gente para a luta. A CUT está em boas mãos, Roberto e Ivônia estão à altura dos próximos desafios. Os dois têm algo em comum: são pessoas desprovidas de vaidade, são desprovidas de sentimento de arrogância, não são de abandonar a trincheira nos momentos difíceis, e são movidos pelo espírito de solidariedade. Ela é uma eterna aprendiz, como o velho Gonzaguinha definiu: nunca acha que tá pronta, está sempre buscando aprender. Duas pessoas socialistas, prontas para defender a classe trabalhadora. Estou 100% confiante”.

Jairo de Jesus (SINDITIC/SE) é o novo Secretário Geral da CUT/SE. “Quem quer que atue e milite no movimento sindical sabe que a história dos trabalhadores no Brasil é feita de conquistas, mas também de derrotas. Após o golpe de estado de 2016, o momento é de intensificação por parte do governo federal e dos governos estaduais e municipais da retirada de direitos, do enfraquecimento do sindicato, principal instrumento de luta em defesa dos direitos do trabalhador. Na luta por salários, melhores condições de trabalho e emprego, são as entidades sindicais que tem feito a melhor defesa da democracia brasileira e da soberania nacional. Isso revela que a direção recém-eleita da CUT tem pela frente imensos desafios a nortear sua atuação nos próximos 4 anos. Não apenas pra reverter a retirada de direitos, mas pra fazer o Brasil retomar o crescimento no ritmo que, durante os 13 anos dos governos populares, nós já conseguimos alcançar. Torço para que essa nova gestão possa produzir os frutos necessários para os trabalhadores se sentirem representados pela estratégia, ações de luta e valores que serão defendidos pela CUT/SE”.

Na nova diretoria, Plínio Pugliesi (SINDIJUS) deixa a vice-presidência para ocupar a Secretaria de Comunicação. “Neste momento, os ataques dos nossos inimigos de classe e os direitos que estão sendo destruídos são muito maiores que as diferenças entre nós, trabalhadores. Conscientes disso, dialogamos com as correntes internas e buscamos construir uma chapa que reunificasse as categorias organizadas na central. Propomos manter os espaços dos sindicatos que já ocupavam a direção e também contemplar outros sindicatos que não são ligados às correntes para assegurar pluralidade na direção”, destacou.

 

Diretoria

Presidente: Roberto Silva (SINTESE)

Vice-Presidenta: Ivônia Aparecida (SINTESE)

Secretário Geral: Jairo de Jesus (SINDITIC/SE)

Secretária de Administração e Finanças: Iara Nascimento (SINDISAN)

Secretário de Comunicação: Plínio Pugliesi (SINDIJUS)

Secretário de Formação Sindical: Rubens Marques (SINTESE)

Secretária de Organização e Política Sindical: Joelma Dias (SINDIPEMA)

Secretária da Mulher Trabalhadora: Cláudia Oliveira (SINTESE)

Secretária de Relações de Trabalho: Caroline Santos (SINDIJOR)

Secretária de Políticas Sociais e Direitos Humanos: Itanamara Guedes (Sindiserve Glória)

Secretário de Juventude: José Rafael (SINDISAN)

Secretária de Combate ao Racismo: Arlete Silva (SINTESE)

Secretário Saúde do Trabalhador: Admilson Lima (SINDIMINA)

Secretária de Meio Ambiente: Maria Moura (Oposição SINDICATO RURAL DE CUMBE)

Secretária de Assuntos Jurídicos: Leila Angélica (SINTESE)

Secretário de Cultura: Jean Marcel (SINTECT/SE)

Secretário de Mobilização e Relação com Movimentos Sociais: Paulo César (SINTESE)

Secretário Executivo: Joao da Fonseca (Sindiserve PoçoVerde)

 

Diretores Estaduais:

Antônio Luiz (SINTRADISPEN/SE)

Marli Rodrigues (SINTESE)

Hugo Hudsney (SINTESE)

Maria Lúcia (SINTESE)

Wellington Phillip (SINPOSE)

Rosely Anacleto (SINDASSE)

Emanoel Aleixo (Sindiserve Canindé)

Adenilde de Souza (SINTESE)

Givaldo Santos (SINDIBRITO)

Quitéria Santos (SINDOMESTICA)

Cláudio Herculano (Oposição SINDIPROPRIÁ)

Maria Auxiliadora (SINTESE)

Maria Augusta (SINTESE)

Rosângela Santana (SINDIPEMA)

Gilto dos Santos (SINERGIA)

Ivan Calasans (Oposição Petroleira)

Saullo Guedes (SINDIJUS)

Vanessa Ferreira (SINDACSEI)